quinta-feira, fevereiro 25, 2010

De regresso a casa


Depois de 3 dias no "hotel", até estava a habituar-me à boa vida. Não fazer nada, ter tudo feito, comida na mesa (com direito a escolher o prato e sobremesa no dia anterior). No 1º dia as coisas não foram fáceis, não estava mentalizada, mas depois fui conhecendo pessoas, bebés acabados de nascer e acabou por tornar-se um tempo interessante.

No meu quarto as grávidas passavam e iam embora (todas para ter bebé) e eu ia ficando. Ainda na última madrugada chegou uma rapariga já com 40 semanas. Ficámos as três na conversa até
às 5h. Eram 9h da manhã já estava a ir para o bloco.

Afinal tudo acontece com um propósito e se não tivesse lá estado, esta madrugada quando perdi um bocadinho do rolhão (um dos sinais de parto), não saberia o que era e provavelmente teria ido para as urgências desnecessariamente. Agora é esperar.


quarta-feira, fevereiro 24, 2010

CTG com soluços

Hoje no CTG da tarde o Isaac estava com soluços. Temos estado bem, a médica mandou fazer nova eco amanhã e só se confirmar a eco de 2ª, a desaceleração de crescimento, é que induzem o parto. Duvido. Vai ser a médica que me costumava fazer as ecos e o Isaac está bem, mexe muito, tem batimentos cardíacos bons e a barriga está a crescer. Espero amanhã já estar de volta a casa!

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Eco e internamento

Ontem pensava que só vinha fazer a ecografia e afinal quando a mostro à médica, ela manda-me cá ficar. Não queria acreditar. Telefonei ao Ricky a chorar. Uma desaceleração no crescimento (que continuo a crer que resulta da forma como fizeram a eco, do observador, da posição do Isaac que não permitiu tirar as medidas da mesma forma, etc), ditaram a minha estadia (talvez por toda a semana) no "hotel" Professor Doutor Fernando Fonseca. O percentil parece ter descido e ela ficou preocupada.
Depois de passado o choque, lá me mentalizei. A médica justificou esta medida porque querendo que eu faça CTG diariamente, era contra-producente andar todos os dias a viajar casa-hospital para o exame. Assim fico cá e pronto.
O Isaac continua mexido, p'ra mim está maior e sei que Deus está a cuidar dele, e de mim!
Aos que entretanto foram sabendo e foram mandando sms e telefonando, muito obrigada! Contamos com as vossas orações.

sexta-feira, fevereiro 19, 2010

O desafio que me colocaram há 9 meses atrás, (tutora online da Universidade Aberta) está prestes a começar. Pergunto-me por que razão não me chamaram para o 1º semestre do ano lectivo mas só agora (logo a coincidir com o nascimento do Isaac), mas o que faria? Dizer que agora não dava muito jeito porque vou ser mãe?! É tudo online, é sobretudo à 2ª feira que tenho de disponibilizar os conteúdos online. É uma oportunidade muito boa (a nível curricular), vai permitir-me ganhar experiência e afinal tenho um Deus que me capacita, que me abriu esta porta, tenho um bom suporte familiar... ou seja, tenho as condições para poder seguir em frente. Não digo que vá ser tudo muito fácil, mas impossível? Acho que não. Das pessoas (amigos e família) com quem tenho falado, têm-me dito que com disciplina, alguma ajuda claro, e empenho hei-de conseguir.
O 2º semestre começa amanhã e termina dia 6 Junho. A 19 Julho é o exame final e aí vou ter mais trabalho a corrigi-los. Oro por sabedoria, capacidade, conhecimento e calma. A paz dEle está comigo.

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

1h20 da madrugada

a sirene dos bombeiros toca várias vezes (a chamar os bombeiros da freguesia e arredores), eu levanto-me da cama e o meu marido pergunta-me:
"Onde é que vais?"
A minha vontade era dizer-lhe que ia para os bombeiros, mas não...
"Vou à casa-de-banho, como de costume".
Ai que vontade de rir daquela pergunta.

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

35 semanas 5 dias


Hoje lá foi o Isaac novamente à fotografia... desta vez levámos a avó paterna que se deliciou a ver o menino. A médica estranhou eu estar lá passada uma semana de me ter feito a outra eco, e disse que a minha obstetra é muito chata (a "tia Helena" como lhe chama). Desta vez o Isaac mostrou tudo, a médica muito espantada (porque ele normalmente esconde as partes mais íntimas): "até se vê a uretra, olhem p'ra isto que grande pilinha, toda espetada"! Eu já estava a ficar envergonhada.
"Hoje mostra tudo à avó. Mas está com ar sisudo, está a engolir, e de mão na cara como de costume".

Está óptimo, aumentou bem de peso (de 2358 para 2693 Kg), referiu mais uma vez a perna comprida do rapaz e pronto... "esta rapariga já deve ter feito umas 7 ecografias, nós já nos conhecemos bem! A ver se a Dr.ª Helena não a manda cá tão cedo. " (que exagero, com ela só fiz 3). Amanhã vou ter com a médica às urgências para fazer o CTG e mostrar-lhe a eco de hoje.

terça-feira, fevereiro 09, 2010

como eu gostava de mudar a mentalidade de mediocridade, "deixa andar", "se eu não fizer alguém fará" e do fazer sempre pelo mínimo (mesmo que fique mal feito) que impera neste país.. ai que irritada que eu fico com isto. O nosso país não passa da cepa torta por causa desta cultura, mentalidade ou sei lá que nome lhe hei-de dar.

segunda-feira, fevereiro 08, 2010

3º bebé 2010

Agora foi a vez de um rapaz, o Samuel. Depois de se perceber que o menino estava bem instalado e não queria sair do quentinho, o Samuel foi mesmo "obrigado" a nascer. Sonhei com o parto na 3ª feira passada e afinal correu mesmo como no sonho: muito bem! Graças a Deus. Abraço apertado aos papás e um beijinho pequenino a este grande menino.
Ai... agora comecei a pensar que o próximo, pela lógica, é o nosso!

quinta-feira, fevereiro 04, 2010

eco e consulta - 34 semanas e 4 dias

ontem foi dia do Isaac ir ao gabinete fotográfico. Está bem e recomenda-se, não mostrou as partes íntimas (gosta da sua privacidade) porque as mesmas estavam viradas para a minha coluna. Fez beicinho para os papás e estava mexido, como sempre, apesar da falta de espaço. O CTG mostrou tudo bem, não tive contracções. Só engordei 1 Kg num mês (foi tudo para o Isaac), e na consulta a médica disse que apesar de estar óptimo, quer que eu volte na próxima semana para fazer outra eco, de forma a avaliar o desenvolvimento do menino, já que desceu de percentil ("mas a Marta não pode ter um bebé gordo, porque vocês também não são gordos. Ele é comprido e magro"). O índice de resistência da artéria umbilical estava um pouco elevado, daí ela querer avaliar se a placenta está a cumprir todas as suas funções e a alimentar bem a nossa herança.
Confiamos em Deus, acima de tudo e esperamos nEle. Não vou dizer que não ficámos preocupados (estaria a mentir), mas sabemos que o Isaac é dEle e quem cuida dele é o nosso Pai.

video

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

passeios e conversas

Ontem fui ter à igreja de manhã para ter um estudo bíblico que o Paulo Barata está a dar a um casal nosso vizinho que se converteu no final do ano passado. Como eles acabaram por não poder, tendo ficado para hoje, fomos ao café de uma irmã da igreja aqui na urbanização. Foi uma horinha de conversa e ouvir mais uma vez algo que tem feito sentido, muito. Sermos igreja no local onde estamos, toda a semana, e não só ao Domingo. Falarmos, e sobretudo ouvirmos as pessoas que nos rodeiam, vizinhos, conhecidos... foi bom.
Depois fui à peixaria e ainda passei pelo talho do sr. Nuno (que tem uma Marta de 6 anos, pelos vistos muito traquina). Estava uma senhora com um bebé de 4 meses que ao ver a minha barriga meteu conversa. Trabalha no Amadora-Sintra e foi lá que teve o filho. Descansou-me, deu-me alguns conselhos, partilhou comigo alguns pormenores da gravidez. É engraçado ver como é fácil falar com pessoas que estão ou estiveram na mesma situação. A empatia parece surgir naturalmente. Depois uma senhora brasileira meteu conversa também, olhou para a minha barriga e disse: "Ah, não é p'ra já, lá p'ra Março, sim! Eu não sou muito velha mas tenho os dons que Deus me deu e olhe a médica pode dizer muita coisa mas ele vai nascer no tempo que Deus determinar!"
Toma lá que é para aprenderes Marta. Nada que eu não tivesse pensado muitas vezes, e sei que assim é, mas quando vem uma contracção, ou uma dor, fico a pensar em milhentas coisas e lá se vai a confiança. Nós seres humanos somos mesmo assim, infelizmente. Ouvir da boca de alguém estranho aquilo que sabemos que é verdade, e que lemos na Sua palavra, é como uma chapada de luva branca.
Lá saí do talho, vinha a subir as escadas, bem devagar e a parar, quando desce uma senhora de mais alguma idade e me diz: "É uma boa terapia esta, mas devagar".
Sentia-me feliz por saber que pertenço a este lugar (mas ao mesmo tempo triste porque num dia normal de trabalho nunca teria tempo para fazer o que faço agora, sem pressas, sem stress), por saber que afinal está tudo bem com o nosso Isaac, apenas foi preciso abrandar um pouco o ritmo e que Deus está a cuidar dele. Sentia-me feliz por ter pessoas perto, umas conhecidas outras nem por isso. Sentia-me feliz ao imaginar a passear com o Isaac no carrinho pelo jardim e depois a parar no talho e na frutaria. Sentia-me feliz porque afinal no meio desta selva urbana ainda há pessoas que falam umas com as outras, mesmo que às vezes seja conversa de circunstância. Até fiquei contente porque hoje, ao lembrar-me de uma coisa que não comprei no talho, liguei ao sr. Nuno e encomendei o que precisava e disse que o meu Nuno depois passava lá ao final da tarde para pagar e trazer. Não moro no campo mas neste recanto ainda podemos tentar que as coisas sejam um pouco mais agradáveis, pessoais... isto também depende de nós!