quinta-feira, dezembro 25, 2008

25 de Dezembro

Já me levantei tarde...sabe tão bem estar na cama até mais tarde.
Fomos almoçar a casa dos meus pais, e para nossa surpresa a minha tia Zita, o Cláudio e a Joana vieram almoçar a Lisboa connosco. Já tinha saudades de estarmos todos à mesa. O meu irmão Filipe foi surfar de manhã e chegou mesmo quando nos estávamos a sentar para almoçar. Ultimamente não tenho visto muito os meus irmãos, sobretudo o mais velho, o André, e hoje finalmente conseguimos estar todos juntos. À medida que vamos crescendo, parece que é mais difícil encontrarmo-nos.
Depois de um bom tempo à mesa, os mais novos (onde eu me incluo) estivemos a ver um filme. Ao final da tarde, o André foi viajar até ao Porto, porque amanhã tem trabalho lá, e o Filipe aproveitou a boleia para ir até casa de uns amigos dos surfistas cristãos da invicta.

O Cláudio e a Joana voltaram para as Caldas da Rainha e a tia Zita ficou em casa dos meus pais, já que no fim-de-semana vamos para lá e assim levamo-la. Mal posso esperar por chegar ao campo novamente (7 dias...uauuuuu!!!!!)

Nós ainda parámos nos meus sogros e voltámos ao nosso cantinho em Belas. E como sabe bem chegar a casa...
Pela 1ª vez em 28 anos de vida tive um Natal sem troca de prendas... e soube tão bem. Pode parecer estranho dizer isto, mas foi bom. Este ano decidimos que não haveria distribuição de presentes, com excepção da Matilde (que só teve 3 ou 4 e estava toda contente). Tenho visto tanto desperdício, tantas compras de coisas por vezes inúteis, ou de chocolates que as pessoas nem gostam, ou uma treta qualquer só para dizer que deu... na família dissemos que este ano não havia nada disso. Além de preferirmos dar uma prenda nos anos, sabendo que é algo que aquela pessoa gosta mesmo, pensamos (nós cá em casa) que é sempre preferível dar um donativo a uma instituição, gastar com quem realmente precisa... muito mais proveitoso para todos. A despreocupação com o comprar isto e aquilo, andar nas lojas a escolher, foi um descanso. Ver toda a gente andar carregada, numa correria nas lojas e nós descansadinhos... que bom.

A noite de Natal foi muito animada, depois do jantar com 12 pessoas à mesa e a Matilde sempre a perguntar quando é que íamos comer a sobremesa, ela abriu as poucas mas muito apreciadas prendas. A seguir jogámos Buzz na PS3 e todos participaram no Karaoke. Foi mesmo divertido. Rimo-nos imenso. Foi uma noite de Natal bem diferente mas fantástica.

domingo, dezembro 21, 2008

Gsolidario

Se para nós é exactamente a mesma coisa pesquisarmos no google ou no gsolidario, por que não usar sempre o segundo? Podemos defini-lo como nossa página inicial. Assim, estamos a ajudar várias causas que tentam tornar este país num país melhor para pessoas mais desfavorecidas, a vários níveis, viverem.

Vejam como funciona e divulguem. Por boas causas...

http://www.gsolidario.org/gsolidario.php

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Lembranças


Depois de um artigo que li fiquei a pensar seriamente no Natal. Aliás, já desde há 2 anos que penso nisso, porquê é que o dia 25 é dia de Natal. Quem o instituiu? Por que razão o Pai Natal representa o Natal, apagando por completo o verdadeiro motivo. Por que damos prendas? etc, etc.Um dia destes ponho aqui o que descobri... preparem-se, porque não é pêra doce. Vem pôr em causa toda a nossa tradição.


Este ano não damos prendas a ninguém, excepto à Matilde. Entretanto, gostava de dar uma pequena lembrança apenas às pessoas que trabalham na Comissão de Protecção de Crianças e Jovens onde estou a fazer a investigação. Lembrei-me de algo personalizado e que não tem nada a ver com o Natal, é o ideal. Não tenho jeito nem paciência para trabalhos manuais (ao contrário de amigas como a Sara, a Rute, a Patrícia, etc ...e aliás neste aspecto nem pareço filha da minha mãe, que é uma artista nata). Mas com alguma paciência, e um pouco torto aqui e ali até acho que sairam bem, estes supostos marcadores.

sábado, dezembro 13, 2008

Contra a pedofilia

Encontrei na página de uma líder de louvor brasileira (de que gosto particularmente), este vídeo contra a pedofilia. Achei muito interessante, e útil, que uma personalidade conhecida de tantos entre aquele povo tão numeroso, tenha tomado uma posição pública, despertando as pessoas e incentivando para que denunciem casos de pedofilia, abuso, etc...

http://www.youtube.com/watch?v=ipr5y7wTvaQ

Era bom que em Portugal se fizesse o mesmo. Apesar da sociedade estar mais atenta a casos de maus tratos, abuso, negligência contra crianças, há muita gente que ainda pensa que o que se passa dentro da família, só a ela diz respeito. Nada mais errado: os maus tratos físicos e psicológicos, o abuso sexual, a exposição a modelos de comportamento desviante (como a violência contra o cônjuge) são crimes, e devem ser denunciados. Agora até as punições físicas às crianças são consideradas crimes (embora isso ainda seja muito discutível, porque a tal palmada na altura certa nunca fez mal a ninguém).
O que me faria levantar da cama a um Sábado, às 8h da manhã, estando um tempo escuro e chuvoso lá fora, e deixar o sono a meio?
Só mesmo o gosto por estes assuntos e por isso ter de ir para as aulas da pós-graduação "Protecção de crianças em perigo e intervenção local". Lá fui, saí sem fazer barulho e deixei-o a dormir... custa, mas sei que vai valer a pena.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Pequenos grandes gestos

Deus surpreende-nos todos os dias. Através de pessoas, normalmente próximas de nós, ou mesmo até mais distantes, Ele traz-nos pequenos mimos.
Obrigada Tia Lu. Obrigada Rute.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Não acredito em coincidências.

O nosso carro faz 8 anos este mês. Mês de revisão, de inspecção e de imposto.
Na semana passada o Ricky combinou com o mecânico deixar-mos lá o carro no feriado, dia 8. Andámos preocupados como íamos passar a semana sem carro (só para ir de casa à estação de Queluz, 2 km). Uma vez que o carro velhinho que o meu pai costuma emprestar-nos nesta altura do ano, agora está com o meu irmão mais velho, estávamos um pouco sem saber o que fazer. No feriado, o Ricky ligou para o Carlos a saber se podia ir com ele deixar o carro na revisão e qual não foi a nossa surpresa quando o Carlos diz que eles iam estar de férias esta semana, e não precisam do 2º carro. Podiam emprestar-nos. Coincidência? Muitos podem achar que sim, mas eu tenho a certeza que Deus já tinha tudo planeado ao pormenor.

Obrigada primos pelo carro. Tem sido mesmo uma bênção!

A minha orientadora é 5 estrelas!

http://www.cies.iscte.pt/investigadores/ficha.jsp?pkid=4

Se alguém quiser saber quem é, aqui fica o endereço!

Fazer investigação

é 99% de transpiração e 1% de inspiração.

Para aqueles que dizem que não faço nada (por trabalhar muitas vezes em casa), aqui fica esta frase de um professor meu da pós-graduação que comecei em Novembro. Mal sabe ele como esta frase faz tanto sentido para mim neste preciso momento.
Hoje tive reunião com a minha orientadora do doutoramento... há dias em que uma pessoa desmotiva por completo. Ainda por cima não sendo de sociologia (licenciatura), as dificuldades aumentam, e como ela própria diz, "é ainda mais trabalhoso e difícil". Mas ela é mesmo impecável e esteve sempre a dar ânimo, a dizer da grande utilidade desta tese e de como pode ser útil para as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens.

A persistência é isso mesmo: é pensar várias vezes em desistir, mas nunca o fazer. É insistir, insistir mesmo quando se pensa que é uma tarefa demasiado grande e dura para nós. E para os que acreditam em Deus, como é o meu caso, é ter a certeza que não vou fazer isto na minha força, mas Ele está comigo e que me vai ajudar para usar o resultado desta tese para melhorar o sistema de protecção à infância em Portugal. Às vezes penso que isto é ser utópica, mas não... porque se for Ele a orientar tudo, então Ele saberá o que é melhor. E sabemos que o melhor é que não haja crianças cujos pais não conseguem sê-lo, é haver famílias funcionais, nas quais não há maus-tratos... e se isso acontecer, o Estado deverá conseguir protegê-las, de forma a não estarem mais em risco.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Christian Motorcyclists Association (CMA Portugal)


Ontem foi o dia em que passámos a fazer parte do CMA Portugal, ou seja, motards cristãos. Foi um momento importante porque não é fazer parte de um motoclube, mas assumir o compromisso de marcar a diferença no mundo motard.

sábado, novembro 29, 2008

Em pleno Sábado, às 9horas da manhã, depois de uma noite de tempestade, e antes de ir para a s aulas fui ao médico. As dores obrigaram-me a marcar uma consulta no vigilante, e não esperar pela próxima consulta na médica de família só em 2009.
Digam-me como é possível aos 28 anos ouvir o ortopedista dizer que ainda estou a crescer. Tenho Osgood Schlatter nos joelhos e por isso é que perco a força quando subo escadas.
Tenho ainda uma tendinite nos ombros provocada pelas muitas horas ao computador, da posição em que os braços ficam. Ultimamente esta malandra tem-me limitado bastante os exercícios na natação. Nada que umas injecções não curem e algum repouso... que maravilha, não faltava mais nada.

quinta-feira, novembro 27, 2008

É o que dá ter TV no local de trabalho sempre acesa (na sala de espera das famílias).... ia a passar no corredor, olho para a tv e vejo uma cara conhecida: a Beatriz (filha da Diana e do Marco) a comer como gente grande às 10h40 da manhã... isto de ser famosa tem muito que se lhe diga. Estava muito linda, sim senhores.

quarta-feira, novembro 26, 2008

Gsolidário

Peço a todos os que puderem, e quiserem, que votem na ABLA (todos os dias) no site
http://www.gsolidario.com/

Obrigada!

segunda-feira, novembro 24, 2008

um dia calmo


acho que foi o 1º ano em que não tive bolo de anos, e não me importei nada com isso. Foi um dia bem passado, calmo, só nós os dois. Fomos ao Oceanário de manhã, almoçámos na expo e à tarde fomos ter com o CMA Portugal ao Centro Cristão Mão Amiga, uma igreja na margem sul, Montijo, que nos convidou a estar presentes para falarmos do trabalho feito entre os motards de Portugal. Foi muito bom. No final do dia, sem nada combinado, fomos todos (éramos só 8) jantar a casa do nosso amigo Carlos Carvalho que mora naquela zona.
Foi um dia diferente dos últimos anos, primeiro porque sempre estive a trabalhar e depois porque quis algo mesmo soft, sem grandes festas... não sei se isto é da idade, apesar de continuar a gostar muito de fazer anos, este ano não queria grandes festejos.

A todos os queridos amigos que telefonaram e mandaram sms, MUITO OBRIGADA pela vossa amizade e carinho!!


domingo, novembro 23, 2008

28 hoje

pois é, o tempo passa a correr e hoje sou eu a aniversariante. Agora sim, acho que estou a ficar mais crescida (p'ra não dizer velha).

Agradeço muito a Deus pela vida, por quem tem posto no meu caminho e por me fazer tão feliz. A todos os que têm participado de alguma forma na minha vida, MUITO OBRIGADA por no fundo fazerem parte de mim.

sábado, novembro 22, 2008

Acabou de ser inaugurada uma árvore de Natal no parque Eduardo VII, mas há várias coisas que continuo sem perceber:

1ª - porque é que continuam a gastar um balúrdio em eletricidade, material, etc, etc para termos a maior árvore de Natal da Europa? serve para quê? Ajuda alguém? Não, então não serve mesmo para nada.
2ª - por que razão uma árvore de Natal tem pombos? será que é porque está em Lisboa? A Câmara coloca contraceptivos na água dos pombos para não se reproduzirem e depois põe pombos na árvore de Natal. Interessante.

Continua a haver muito desperdício neste país, neste mundo.

quinta-feira, novembro 20, 2008

Festa dos Livros

A Fundação Calouste Gulbenkian vai realizar mais uma festa dos livros, que é o mesmo que dizer, venda de livros baratos. Quem é rato de biblioteca pode passar por lá... vale sempre a pena.
De 27 de NOvembro a 23 de Dezembro entre as 10h e as 20h.

http://www.gulbenkian.pt/index.php?object=160&article_id=1150

domingo, novembro 16, 2008

Ter alguém doente em casa dá mesmo muito trabalho. É visitas constantemente, é telefonemas a toda a hora... se ter alguem doente é assim, então ter um bebé deve ser... nem imagino. A sogra a telefonar, a mãe preocupada, não sei quem a querer vir ver...

É bom saber que os outros se preocupam, e ter a ajuda deles, mas eu sou mesmo como a minha mãe: estar no meu cantinho, no sossego e paz do nosso lar.

quinta-feira, novembro 13, 2008

Ver alguém que amamos numa cama de hospital (mesmo sabendo que está tudo a correr bem)traz-nos sempre alguma inquietação e ansiedade. Foram assim estes dias, desde 3ª feira quando deixei o Ricky na Clínica de Sto António para ser operado ao nariz. A operação ontem correu bem, estava um pouco azambuado da anestesia mas está a recuperar. Hoje voltou a casa e tão bem que sabe estar em casa. Comeu, descansou e tem estado aqui no sofá a respirar mais pela boca que pelo nariz.
Ontem à noite estive até às 22h na clínica, hoje passei lá a manhã e graças a Deus e a um amigo nosso de longa data, o Agostinho (alguns lembram-se dele, de certeza), que lá trabalha, o tempo passou mais rápido. Sempre preocupado com o seu amigo, apresentava-o a todos os colegas sempre com aquela sua boa disposição.

Graças a Deus está tudo a correr bem e assim vai continuar.

Obrigada a todos os amigos e familiares que têm telefonado e mandado sms.

Muito obrigada pela vossa força e pelas vossas orações!

sábado, novembro 08, 2008

A propósito do presidente de uma das maiores potências do mundo ser mulato, lembrei-me de algo que digo com frequência: a próxima geração vai ser uma geração de mulatos. Tomo como exemplo alguns casais amigos, eu própria e outros conhecidos: a S. e o N., o C. e a S., a M. e o N., a I. e o O., a R. e o M., a C. e o V. etc, etc... a mistura é tão gira. Acho mesmo piada e sinceramente tenho muita curiosidade por saber como será um filho (a) nosso (a).
Pais e mães de meninas pequenas, não se admirem se daqui a uns (bons) anos a vossa filha disser que namora com um mulato/ black... é que HÁ QUE DAR COR À VIDA!!!

sexta-feira, novembro 07, 2008

1º dia de aulas

Sabem aquele nervoso miudinho, um friozinho na barriga que alguns de nós sentíamos no 1º dia de aulas? é assim que me sinto... sei que é parvoíce, mas pronto. Há 10 anos que entrei para a universidade, e hoje que vou começar uma pós-graduação (na universidade de onde saí no fim da licenciatura há 6 anos), sinto-me assim...

quinta-feira, novembro 06, 2008

Lisboa

É interessante que estando muito tempo ausente de algumas ruas, caminhos, paisagens, nos esquecemos um pouco como são. Quando estive na Suécia, não foram poucos os estrangeiros na conferência que expressaram o encanto que tinham por Lisboa, especialmente as ruelas do Bairro Alto e de outras zonas típicas da cidade. Para nós que somos de cá, é tudo tão norma, que nem nos lembramos quão bonitas são realmente.
Hoje tive um seminário em Lisboa, na Praça da Estrela. Fui de metro até ao Cais do Sodré e estive a fazer tempo no jardim da Praça da Ribeira. Com calma, tudo parece diferente. Fui à FCT entregar uns papéis, e subi a calçada da Estrela. À hora de almoço aproveitei para passear um pouco pela zona da Lapa (passei junto ao hospital militar, onde nasci) e redescobri uma Lisboa bonita. De ruas estreitas, de carris de eléctrico pelos caminhos entrecruzados por carros (a serem bloqueados pela polícia... esta é a parte menos "romântica", mas é a vida), de lojas pequeninas, com roupa original e vanguardista a contrastar com as casas típicas, de tascas antigas com paredes de azulejos brilhantes e chão escuro.

A nossa Lisboa é bonita.
Não sei porquê mas quando penso em filhos, penso sempre num adoptado. Gostava mesmo muito de adoptar uma criança e além disso acho que chega a ser um dever como cidadã. Depois de alguns anos a estudar questões ligadas à infância, das crianças em perigo, das vítimas de maus tratos, de crianças institucionalizadas, penso que mais do que estudar porquê destas situações, e de tentar dar recomendações para mudar o sistema, deveria fazer algo prático. Isso poderia passar pela adopção. Sei que só o poderia fazer por uma criança, mas pelo menos aquela eu poderia ajudar a crescer e a dar-lhe oportunidades semelhantes às que os meus pais me deram. Infelizmente quando falei nisso ao Ricky, ele recusou, por achar que não seria capaz de amar da mesma maneira. Talvez tenha razão, mas ainda assim acho que é possível amar do mesmo modo os filhos biológicos e os filhos do coração... digo eu, mas como nao sou mãe não sei se será mesmo assim.

quarta-feira, novembro 05, 2008

Martin Luther King dá voltas no caixão... o sonho que tinha, finalmente cumpriu-se!

sábado, novembro 01, 2008

nostalgia

não sei porquê mas ontem e hoje uma nostalgia tem-me invadido. Aquela viagem à Suécia foi mesmo fantástica... não consigo explicar. A cidade era "mágica", as pessoas acolhedoras, o lago espantoso. Apesar de ter sido uma semana de intenso trabalho (todo o dia na conferência), foi uma semana única. Os cheiros, os sons, o frio, a chuva, mas também o calor do sol que nos brindou nas boas-vindas, o hotel (um antigo mosteiro), transportou-me para épocas remotas, sendo lugar de peregrinação). Foi uma experiência que adorei, gostava de repetir, mas sei que não teria o mesmo encanto. A aventura de ir sozinha, para um país desconhecido, fez-me crescer, obrigou-me a desenvolver o meu inglês (quem me conhece sabe que detesto inglês), e fez-me querer continuar a participar nestas conferências. Como diz o meu marido "aproveita, é assim que ganhas traquejo", e ele tem razão.

domingo, outubro 26, 2008

mais 1 hora

de fim-de-semana. Todos os anos nos tiram uma hora em Março, mas depois devolvem-na em Outubro. Faz-me lembrar o IRS: tiram-nos todos os meses mas no ano seguinte devolvem-no. Até pode ser uma forma de "obrigar-nos" a poupar, porque em vez de pormos no bando todos os meses, está lá nos cofres do senhor que se chama Estado, mas depois ele devolve-nos (a alguns, pois eu sei). É uma forma de nos conformarmos com a exorbitância de descontos que vemos nos nossos recibos de ordenado (não é o meu caso agora porque sou bolseira...até nos isentam deste imposto... oh, que bondosos que eles são. Só é pena o valor das bolsas não ser actualizado desde 2002, prá aí).

Lições tiradas duma Arca (por Robert J. Tamasy)

"Há algum tempo atrás deparei-me com a lista que se segue, intitulada “Tudo o que eu preciso saber a respeito da vida, aprendi com a arca de Noé”. Confesso que não me recordo da fonte, por isso peço perdão por não dar o crédito devido ao autor. Contudo, pelas observações simples, mas muito profundas, gostaria de partilhar esses pontos com alguns comentários meus.

A maioria de nós já ouviu falar sobre "a arca de Noé", um barco que segundo a Bíblia (Génesis 5-9) foi construído ao longo de 120 anos e serviu para proteger Noé do dilúvio que cobriu a terra, a sua família e um casal de todas as espécies de animais. Este relato contém lições de alto valor para o mundo profissional e empresarial.

1. Não perca o barco. Algumas oportunidades surgem em ocasiões raras – e muito provavelmente uma só vez na vida! Quando aparecem, precisamos estar prontos para lhes dar resposta, mesmo sem ter a certeza dos resultados.

2. Lembre-se que estamos todos no mesmo barco. Quando enfrentamos desafios complicados, as diferenças triviais deixam de ser tão importantes quanto pensávamos que fossem. Combine os recursos e trabalhe com outras pessoas para alcançar êxito.

3. Prepare-se antecipadamente. Não estava a chover quando Noé construiu a arca. Alguns esperam até que ocorra uma crise para, só depois, decidir procurar uma solução. Planeamento pró-activo, antecipando problemas potenciais e adopção de medidas para vencê-los são atitudes sábias.

4. Mantenha-se em forma. Quando tiver 600 anos de idade, pode acontecer pedirem-lhe para fazer algo de grande envergadura. Às vezes, falamos sobre alguém que já não está na “flor da juventude”. Na maioria dos casos, a experiência e capacidade não conhecem limitações. Portanto, prepare-se para responder sempre que for necessário.

5. Não dê ouvidos aos críticos... Prossiga com o trabalho que precisa ser feito. Sempre que adoptar um projecto que esteja fora das normas irá confrontar-se com cépticos. Mostre firmeza nas suas convicções e continue o trabalho que acredita ser necessário, apesar da oposição.

6. Construa sempre. Vivemos num mundo em que demolir e destruir parecem estar na moda. Os melhores líderes são os que constroem, criam e realizam melhoramentos positivos para o aperfeiçoamento de todos.

7. Em nome da segurança, viaje aos pares. Existe grande perigo em ser uma pessoa solitária. É melhor juntar-se e formar equipa com outros.

8. A rapidez nem sempre tem vantagens. As cobras estão a bordo juntamente com os leopardos. Se não dispõe de tempo suficiente para fazer tudo da forma correcta, logo à primeira, porque é que acha que vai ter disponibilidade para voltar a fazer tudo de novo?

9. Quando estiver em stress, flutue durante algum tempo. Quando os desafios se acumulam, muitas vezes somos tentados a fazer qualquer coisa, mesmo que seja errado. Porém, o melhor a fazer é estar muito quieto e relaxar à espera que passe.

10. A arca foi construída por amadores e o “Titanic” por profissionais. Credenciais que impressionam não garantem o sucesso de um empreendimento. Trabalho árduo e bom senso podem realizar maravilhas.

11. Não importa a tempestade, quando se está com Deus, há sempre um arco-íris à espera. A Bíblia afirma: “Nós sabemos que Deus dispõe tudo para o bem daqueles que o amam, e que ele chamou segundo o seu plano”. (Romanos 8:28). Isto às vezes soa banal, mas é autêntico, mesmo quando aparentemente pareça totalmente improvável.

Questões para Reflexão/Discussão
1. Conhece bem a história da Arca de Noé? Imaginou ser possível retirar dela lições e princípios valiosos para aplicar no nosso dia-a-dia?
2. Dos 11 princípios expostos, qual acha ser o que tem mais relevância à sua volta? E qual deles tem um significado importante perante circunstâncias que teve ou está presentemente a enfrentar?
3. Já alguma vez sentiu e/ou se viu numa situação idêntica à de Noé, no sentido de procurar servir o próximo desinteressadamente, criar, ter ideias novas… e ao mesmo tempo lidar com todo o tipo de oposição? Quer comentar?
4. Consegue descobrir outros princípios e lições importantes na história da Arca de Noé e que possam ser aplicados no nosso local de trabalho ou responsabilidades pessoais?"

sábado, outubro 25, 2008

um filme que dá que pensar

Ontem pedi alguns filmes emprestados à minha prima Sílvia, e trouxe este.
Gostei. Não vou dizer que gostei muito porque já vi filmes melhores, mas uma coisa é certa, dá mesmo que pensar e tem uma grande lição: não observar apenas o exterior das pessoas, mas sobretudo o interior. Claro que todos me vão dizer que passamos a vida inteira a ouvir isso (os nosso pais estavam sempre a dizer o quão importante era conhecer as pessoas "por dentro"), mas este filme retrata isso de uma maneira extraordinária. Se puderem, vejam. Aconselho.

quarta-feira, outubro 22, 2008

Havia tão pouca gente na Nazaré que encontrei três vezes o mesmo casal de turistas em diferentes alturas do dia e em sítios diferentes. No Verão seria: "Onde está o Wally?"

Encontro na Nazaré




Ontem estive no Encontro das CPCJs (Comissões de Protecção de Crianças e Jovens) do Oeste, na Nazaré. Foi tão bom ir em trabalho aos nossos locais de férias. Fomos na 2ª feira à noite (eu, o meu pai e o meu irmão mais novo), o Ricky ficou a trabalhar. Dormimos no Juncal. Na 3ª de manhã fomos para a Nazaré. Que bom sair de casa e encontrar pouca gente na rua, não ter carros e carros e carros a passar. Que silêncio. Os campos, o verde, e depois o mar.


A Nazaré nesta altura do ano é fantástica para passear sem encontrões e confusões ao longo do paredão, junto à praia.


Fui almoçar a casa dos meus tios que lá moram. O meu pai e o Filipe foram à praia de manhã (para o Filipe surfar, entenda-se).


À tarde começou a chover, mas nada de especial.


O encontro foi bastante proveitoso. Foi uma experiência mesmo interessante. Espero ter sido a antecipação do nosso dia-a-dia daqui a uns anos, a trabalhar e viver naquela zona (só faltava o meu amor, claro).




sábado, outubro 18, 2008

Viagem a Israel





A minha foi aos 15 anos (em 1996), com o meu pai. Foi uma viagem fantástica, só quem vai é que entende o que se sente. Fui baptizada no Rio Jordão, um momento único. Participámos na Festa dos Tabernáculos e tomámos banho no Mar Morto...incrível.

Os meus pais, o meu irmão mais novo e a minha madrinha estão lá agora. Estiveram dois dias no Cairo, um na Jordânia e dez em Israel. Voltam amanhã cheios de histórias para contar e muitas fotos para mostrar.

Queria tanto lá voltar.






sexta-feira, outubro 17, 2008

Parabéns


à minha querida amiga Sara por mais um ano. Depois de uma prenda antecipada 2 semanas (a princesa Júlia), chegou hoje o teu dia. Que Deus te conceda muitos mais, junto dos teus (amigos, família) e que Ele te continue a abençoar com os sonhos que Ele tem sonhado para a vossa família. Obrigada pela tua amizade, pela tua coragem, pelo teu exemplo. Um excelente dia!

Ah, e Parabéns ao Tiago, que é mais amigo do meu marido, por isso não vou deixar uma mensagem lamechas como a da Sara. lol.

quarta-feira, outubro 15, 2008

Dar




Gosto de dar.

Gosto de dar a quem sei que vai ficar feliz e vai usar as coisas que dou.

Gosto de dar porque por vezes é uma forma de rentabilizar recursos (temos de poupar o nosso planeta).

Gosto de dar quando vejo AQUILO que AQUELA pessoa vai gostar, e não só no Natal ou nos anos (até prefiro dar fora dessas épocas).

Gosto de dar especialmente se algum tempo antes aquela pessoa tinha comentado comigo que precisava disto ou daquilo.

Gosto de dar a quem precisa, ou pelo menos valoriza o que dou porque é útil e necessário.

Gosto de dar do meu tempo (graças a Deus por ter esse tempo) a causas importantes nas quais sei que posso dar a outros, normalmente aos mais desfavorecidos.

Gosto de dar aos colegas da ABLA coisas com que somos (tão) abençoados.

Gosto de dar porque gosto.

Sei que se continuar a dar vou sempre receber mais... é uma lei que não muda (mas não é isso que me leva a dar). Na ABLA dizemos sempre isso, nada do que nos dão é para ficar guardado, é para ir sempre dando a outros, a outras instituições, a outros projectos...


Acho que adquiri isto da minha mãe. Sempre que ia a casa de alguma colega ou assim, a minha mãe dizia-me sempre, "leva alguma coisa" e noutros contextos dizia-me "nunca te arrependas de fazer o bem"

Mas também do meu pai, que sempre ajudou toda a gente e sempre o vi disponível para quem precisasse de ajuda.

Isto contagiou-me até hoje, e espero que continue a ser assim, porque como diz a Bíblia "melhor coisa é dar que receber". Até porque já tive muitas experiências que quando dou mesmo ficando sem aquela coisa de que gostava, Deus manda logo outra coisa tão boa ou melhor sem sequer esperar.

A minha amiga S. diz que é um dom, não sei, mas também gosto de servir, e acho que esse sim é o meu dom, o serviço. As duas coisas estão relacionadas, por isso acho que acredito na minha amiga.
Agradeço a Deus por me ter dado pais assim, sensíveis às necessidades dos outros e que souberam transmitir-me isso tão bem.

terça-feira, outubro 14, 2008

Tenho estado sem net, por isso a passagem por aqui só a fiz agora...

Descobri que uma das casas ao lado da nossa está à venda e tive curiosidade de ir vê-la na net, então não é que a casa está muito gira? Para quem conhece a nossa casa, posso dizer que as casas ao lado da nossa (uma de cada lado), têm menos um quarto, mas a arrecadação é ligada por dentro à casa, o que faz com que as pessoas façam a sala no lugar da arrecadação. Esta está muito original... gostei mesmo. Ainda pensei em comprá-la e ligava as duas, mas o banco não me emprestava o dinheiro, e mesmo que emprestasse, nós não comiamos, nem fazíamos mais nada...lol. claro que estou a brincar, até porque esperamos no futuro (não muito longínquo) ir morar para o campo, entenda-se zona Oeste. Deus é que sabe, mas é mesmo o nosso desejo.

Aqui fica o link, para o caso de alguém estar à procura de casa em Belas...assim sempre tinhamos uns vizinhos que conheciamos.

http://www.remax.pt/PublicListingFull.aspx?lKey=8004c27d-3925-4d07-86b8-bd94b4b3cfea&Index=66

quinta-feira, outubro 09, 2008

Reunião com a orientadora

Na passada 2ª feira tive reunião com a orientadora no ISCTE. Quase me deu uma tareia...
Eu contava: "Nós lá no comissão fazemos isto ou aquilo"...
e ela respondia: "Marta, não é nós, não é fazemos. É: fazem, têm. Tens de estar de fora, és investigadora, não fazes parte da comissão. Sei que é difícil não vestires a camisola, mas tem de ser. Tens de ter uma visão de fora, se não enviesas a tua pesquisa."

E é tão difícil não sentir, não me envolver, não dar o litro no que for preciso.

sexta-feira, outubro 03, 2008

um dia muito difícil


aguardamos com expectativa o momento em que leremos no blog quezia que nasceu a Júlia, e por outro lado tive um dia tão difícil na comissão. Tivemos de retirar uma criança da família. Foram buscá-la à escola, com direito a polícia a acompanhar e tudo (como manda a lei). As colegas trouxeram-no para a comissão, fui comprar-lhe lanche... aquele olhar triste mas ao mesmo tempo dócil e envergonhado. Quis uma sandes, uma coca cola e um chocolate, perguntou-me se podia ir comigo ao café, mas isso não era possível. Tinha um livro da Susana Tammaro no colo, foi a professora que lhe tinha dado, com uma dedicatória... "A história do menino que não gostava de ler", perguntei-lhe se gostava de ler, respondeu-me que sim.


Estava a acabar de lanchar e as técnicas foram levá-lo à instituição. O pai tem outros 3 filhos em instituições, a mãe nunca o viu como filho, sempre foi um empecilho na sua vida... como é possível? Uns querem ter e não conseguem, outros têm e não os querem, anda tudo ao contrário.


Ao descer as escadas disse-nos adeus, ainda com o chocolate na mão... e assim vai crescendo o número de crianças institucionalizadas em Portugal.

quinta-feira, outubro 02, 2008

O país dos chumbos, das baldas e da preguiça.

temos por um lado a Ministra da Educação a dizer que o sistema está a preparar-se para que nenhum aluno chumbe no 9º ano, depois temos do outro lado os alunos universitários, veteranos entenda-se, a chumbarem anos consecutivos e com isso a ganhar prestígio como veteranos e como praxantes (se é que esta palavra existe). Incrível... como a reprovação consecutiva na universidade (a ser -seeternamente sustentado pelos pais) dá estatuto. E é assim que o nosso país vai andando...os preguiçosos a ganharem posição e os estudiosos e esforçados vistos como marrões ou cromos.

Entretanto cá fora, no mercado de trabalho, os preguiçosos arranjam emprego porque todos os cães têm sorte e têm o factor D (que é como quem diz Cunha), e os honestos e estudiosos têm de se esforçar (mais uma vez) a dobrar para conseguir um emprego.

Mas enfim...sei que Deus não dorme. Ele é justo!

quarta-feira, outubro 01, 2008

fiquei mesmo feliz


Hoje tive uma notícia fantástica: a minha grande amiga S. está grávida. São apenas 21 dias, mas está. Acho que nunca tinha sentido isto: por ser uma pessoa com quem convivi diariamente durante 4 anos, tornámo-nos grandes amigas (temos feitios tão parecidos que às vezes até faz impressão). O R. (o meu) e o R. (o marido dela) tb se tornaram amigos, e assim foi crescendo esta amizade...
Hoje foi mesmo uma emoção. Ela não tem muito tempo para ler blogs mas deixo-lhe aqui os parabéns na mesma. Fui a 1ª a saber (a seguir ao marido, claro), que privilégio. Tenho de guardar segredo, mas como aqui ninguém a conhece, estou descansada.

Vou ter mais um(a) "sobrinho" (a) emprestado!!!

A minha querida amiga S. quase a ter a J. e a minha querida amiga S. a começar a vê-lo(a) crescer... foram as únicas duas amigas por quem a minha emoção de saber que estava grávidas me levou ao extremo (a chorar e a rir muito...) as duas por alegria, obviamente, mas reagi assim pelas várias circunstâncias.

Deus vos abençoe muito amigas e que possa ter o privilégio de ver essas duas crianças crescerem em estatura e sabedoria.

umas pinceladas fantásticas


realmente hoje (como todos os dias, nós é que nem reparamos) Deus pincelou o céu com uma cor fantástica. Tenho este privilégio tão grande que é de poder apreciar cá de cima, a ver a serra ao fundo. Adorei...


Peço desculpa a quem está farto de ver pores-do-sol e cenas destas no blog e no flickr... mas gosto mesmo.
Claro que as fotografias nunca conseguirão mostrar a beleza total, mas fica aqui uma amostra.


domingo, setembro 28, 2008

Domingo: dia de ir ao Cabo da Roca


para os motards. É quase um ritual ir ao Cabo da Roca ao Domingo de manhã... vão todos, e há uns sempre bastante (até demais) aventureiros. Hoje de manhã fomos, fizemos umas curvas mm à maneira (o meu marido é um bom condutor, mas dizem que eu sou uma boa pendura...passo a modéstia...lol).

Como os metereologistas não andam a acertar muito no tempo, a chuva que anunciaram felizmente não apareceu. Para terminar bem o fim-de-semana temos igreja motard em Cascais às 19h.


sábado, setembro 27, 2008

o tempo está a mudar


hoje enquanto estava um pôr-do-sol espectacular, as nuvens aproximavam-se e até se ouviu alguma trovoada. Parecia um tempo de furacões, uma tempestada tropical qualquer. Nós, graças a Deus, não estamos habituados a isso, mas há países que convivem com essas entempérides regularmente. Ainda se queixam os portugueses...

sábado, setembro 20, 2008

saem as bonecas


entram as motas.

A princípio nao tinha nada para colocar naquela vitrine que os vendedores da nossa casa nos deixaram. Resolvi colocar lá as bonecas de porcelana que ao longo dos anos me foram oferecendo. Agora, ao fim de quase 4 anos resolvi que poria outra coisa (de que gostamos muito os 2): as miniaturas de motas. As bonecas estavam lá mais para ocupar aquele espaço, e por uma questão sentimental (já que foram dadas tanto pela minha mãe como pela minha madrinha). Mas não as quero dar, estão numa caixa até ver o que lhes vou fazer.

Sai o clássico, entra o radical.

afinal ainda não acabou...







a fase de decoração cá em casa. Passei a semana toda a tentar convencer-me de que ficava bem assim, mas quando não estou convencida à 1ª, nada feito. Hoje fui novamente ao Gato Preto (desta vez sem marido - que disse que já não queria saber, que sou indecisa - mas com a minha mãe).






O quarto ficou assim e a sala ainda não experimentei mas depois mostro-vos. Se puderem, e quiserem, opinar, agradecia sugestões e críticas. As meninas mais experimentadas nestas coisas da decoração do lar, por favor pronunciem-se.






Obrigada!!!

quarta-feira, setembro 17, 2008

Decoração




Mas porque é que não tenho jeito (nem muita paciência) para a decoração. Finalmente ao fim de 4 anos que comprámos a nossa casa, temos uns cortinados de jeito no quarto e na sala. Os outros sempre foram provisórios (made by LIDL). Mas só depois de chegar a casa reparei como o chão do nosso quarto é escuro, de maneira que ficou como está na foto...




Na sala tb me esqueci da cor do chão... mas pronto, está feito (faltam as bainhas, claro) e até gostámos.


Porque não sou como a minha amiga Lili??!!

sexta-feira, setembro 12, 2008

Gosto de voltar aos locais da minha infância











Fim de Férias

Como o que é bom acaba, hoje foi o último dia útil das nossas férias. Voltámos do Juncal, ainda parámos perto das Caldas da Rainha para almoçar com uns tios meus e seguimos viagem.
Era em casa daqueles meus tios que passei muitas das minhas férias de Verão em criança. Hoje fui mostrar ao Ricky alguns lugares por onde eu andava com a minha tia (irmã do meu pai) e a minha prima. A eira, o lagar, as hortas, o poço...que saudades daqueles tempos. A minha tia pacientemente me recebia (e por vezes aos meus irmãos) durante o Verão porque, tal como hoje em dia acontece com tantas famílias, os meus pais não tinham onde nos deixar durante o tempo das nossas férias em que eles estavam a trabalhar. Graças a Deus a Tia São e a Tia Zita recebiam-nos durante esse tempo e foi assim que passámos Verões fantásticos. Gostava que uma dia os meus filhos tivessem a mesma oportunidade que eu e o Ricky (ele ia para casa do avô em Leiria) tivemos: passar os Verões rodeados de campo, animais, hortas e pomares.

quarta-feira, setembro 10, 2008

Porto de Mós


O Juncal pertence ao concelho de Porto de Mós, e nós nunca lá tínhamos ido.


Depois de uma manhã nublada e com chuva miudinha, o tempo abriu e tornou-se um dia de muito calor. Decidimos ir ver como eram as piscinas municipais de Porto de Mós e surpreendi-me.


A piscina só para nós (por ser Setembro), muito boas instalações, uma piscina interior e loutra exterior muito boas e a vista para o Castelo, simplesmente espectacular. Parecia uma paisagem tirada de um conto de fadas.


Apesar da foto mostrar alguma coisa, não consegue transmitir por inteiro a delícia da paisagem, dos sons, dos cheiros...


Regresso ao Juncal

para mais uma semana de férias. Chegámos na 2ª feira à noite. Ontem, sem sabermos, o meu pai e o meu irmão Filipe já tinham combinado com uns primos e tias nossos virem cá almoçar. Foi um tempo em família muito bom.

Hoje tínhamos planeado ir ao Norpark na Nazaré, já que ganhámos uns bilhetes quando lá fomos no familiar II, mas o tempo pregou-nos mais uma partida. Estava nublado e chegou a chuviscar. Amanhã telefono antes de ir, claro.

Mas a paz do campo não é tudo, mas é quase tudo...é tão bom estar aqui.

sábado, setembro 06, 2008

Último dia

em Ponte da Barca. Hoje o sol espreitou bastante tempo, não chegou a chover. De manhã estivemos por casa, uns (os rapazes, claro) a jogar Playstation e nós, as meninas, a ler. Acabei o livro que a Lili me emprestou (muito duro de ler).

À tarde fomos dar uma volta a Arcos de Valdevez, muito perto daqui. Uma cidade mais urbanizada, com menos centro histórico que Ponte da Barca.

Há pouco ainda fui aproveitar os raios de sol das 19h para tirar umas últimas fotos junto ao rio.

Acabámos o dia a ver o jogo Malta - Portugal, que teve um pequeno incidente no início, com a falta de luz. Entretanto fiquei surpreendida com o facto dos jogadores de Malta não serem profissionais: todos têm o seu emprego durante o dia, e só treinam em pós-laboral. Os nossos andam ali a ser pagos, e bem pagos, e é esta tristeza...lá marcaram um golito há pouco. Corram e marquem seus labregos!!!

sexta-feira, setembro 05, 2008

ligeira mudança


de visual.


No final do Verão, que é como quem diz no final das férias, gosto sempre de cortar o cabelo. O Sol, o sal e o vento da praia "aconselham" a que faça isto


quinta-feira, setembro 04, 2008

Apesar do dia chuvoso de ontem, hoje o sol resolveu abrir. Estivemos por casa a jogar buzz, a percorrer a feira de ponte da barca (pelos vistos é à 4ª f) e a jogar às cartas. A senhora que nos alugou a casa trouxe-nos um lanchinho.

Hoje fomos a Ponte de Lima e a Viana do Castelo.

Daqui a pouco o Ricky e o Bruno vão andar de Kayak aqui no rio e nós ficamos a tirar fotos... vai ser só rir. Estes dois juntos fazem a festa, atiram os foguetes, apanham as canas, é só disparate.

Continuemos com as férias que estão a ser óptimas.

domingo, agosto 31, 2008

de férias... outra vez


Já chegámos ao Norte, mais precisamente a Ponte da Barca. O nosso país tem realmente paisagens fantásticas. Parámos no Porto para almoçar (a francesinha estava óptima) e chegámos a Ponte da Barca às 18h. Lindíssimo.


A minha hora preferida do dia é esta, por isso tudo parece ainda mais bonito. Tudo acalma, a luz vai diminuindo e os últimos raios de sol aparecem escondidos entre as árvores, reflectidos no rio. Está bom tempo, nem uma ponta de vento e esta varanda virada para o rio é espetacular.
Deus é bom, e proporciona-nos momentos assim, únicos!

sábado, agosto 30, 2008

Fico revoltada, mesmo muito, quando vejo estas coisas.
Numa reportagem sobre a entrega de casas de realojamento na quinta das mós, em Loures, uma nova residente daquela urbanização ainda tem a lata de dizer:
"Uma casa com dois quartos e só um deles tem roupeiro, para 3 pessoas. Onde é que eu vou pôr a roupa? Vou pô-la na rua"

Realmente, a quem mais se dá, mais exigem. Dão-lhe uma casa, não tem de se preocupar com nada, nem tratar de papéis, nem fazer simulações para ver qual o banco que dá melhores condições, nem sequer tratar dos papéis na câmara, porque é a própria câmara que lhe dá (DÁ) uma casa e ainda refila. Não tem de ter quase um ordenado para pagar a renda durante os próximos 40 (ou 50) anos da sua vida e ainda refila porque só tem um roupeiro.
Talvez se vendesse o telemóvel 3G que tem, ou o MP3 do filho, já possa comprar um roupeiro no IKEA ou na Moviflor...mas não, esta gente deve estar à espera que lhes vão lá a casa pôr a mobília e que arrumem a casa por eles.

Este país cada vez está mais vergonhoso. Mesmo com rendas de 5 € há muitos que não pagam...obrigada, com rendas assim (e em atraso), eu também conseguia ter um BMW, um Audi ou uma carrinha novinha em folha de 9 lugares à porta de casa (não estão na garagem porque felizmente estes políticos ainda não tiveram a ideia de fazer prédios de realojamento com garagem). Mas nunca se sabe... noutro dia fomos jantar a casa de uns amigos que moram na linha de Cascais e perto do condomínio onde vivem estão a ser construídas moradias de realojamento... ATENÇÃO: MORADIAS DE REALOJAMENTO. Pensei que já tinha visto tudo, mas afinal não.

Vou mas é montar uma barraca no meio de um descampado, e vou dizer aos meus amigos para fazerem o mesmo, assim, somos muitos e daqui a uns tempos têm de nos dar casas porque não pode haver barracas em Portugal e porque não temos meios de subsistência (claro, que temos de mudar as nossas identidades).

Desculpem, mas a revolta faz-me inventar estas parvoíces... não há direito!!!!

quarta-feira, agosto 27, 2008

Motards são sempre mal vistos

O Ricky chega à bomba da BP, tenta pôr gasolina na mota duas vezes mas aquilo não funcionava. Foi à caixa:

-"O que se passa com a bomba 3?"
- "Ah, sabe o que é, só depois de tirar o capacete, passado um bocado é que a bomba activa"
- " Tenho cara de estúpido eu?", pergunta o Ricky já um bocado passado (o que é raro). - "Então porque é que não põem esse aviso estúpido lá bomba?"

E depois desta desculpa tão ridícula, lá foi atestar a mota.

segunda-feira, agosto 25, 2008

Aquele olhar triste de 8 anos, disse muita coisa. O sorriso que me retribuiu quando eu lhe fiz sinal de "fixe" com o dedo, trouxe alguma esperança, mas mostrou-me que aquela ainda curta vida tem sido rejeitado desde muito cedo. Uma mãe que diz durante todo o atendimento que sempre soube que aquele filho só lhe ia trazer problemas... deu-me vontade de chorar quando o vi lá fora na sala de espera. Pareceu ao mm tempo tão frágil e desprotegido.
Vai ser institucionalizado, mesmo com alguma hesitação por parte da mãe, porque neste momento ela não consegue proporcionar-lhe tudo o que ele precisa (sobretudo afecto, equilíbrio, amor...). Ela tb vai sofrer com esta separação, mas tem de pensar sempre primeiro na criança, e neste momento ele precisa muito de estabilidade.

É triste quando aqueles que deveriam ser os primeiros a proteger, são os causadores de tanto sofrimento. Deus guarde aquela criança.

domingo, agosto 24, 2008

Depois de 4 dias desaparecida, a chave do nosso carro foi encontrada. Na 3ª feira passada levei a chave para ver se podiam pôr uma pilha, mas a loja estava fechada e voltei para casa (vinha a pé). No dia seguinte de manhã, quando íamos a sair, percebemos que a chave não estava no sítio do costume... corremos tudo e nada.

4ª feira andei a pensar nisso todo o dia, super preocupada, a andar com a suplente. Até que na 5ª feira, entreguei mesmo nas mãos de Deus e tentei descansar, mas sempre com a certeza lá no fundo que ela ia aparecer.

Perguntei em 2 cafés aqui na urbanização e nada...

No Sábado de manhã estava a apetecer-me picanha para o almoço e resolvi ir (pela 1ª vez) ao talho aqui da esquina. Quando entro, estava a chave pendurada numa lata de salsichas.
"Uma senhora encontrou-a ao pé do caixote do lixo e entregou-a aqui. Se é sua pode levá.la. Já ganhou o dia".
Pois já, principalmente porque a chave iria custar perto de 150 €.

Deus é bom e afinal ainda há pessoas honestas.

sexta-feira, agosto 22, 2008

6ª feira

Agora percebo o tão falado sentimento de 6ª feira à tarde: o não apetecer fazer nada típico de um funcionário público. Mas apesar de ser 6ª feira à tarde e aqui na comissão tb não me apetecer nada, aqui no gabinete ao lado o atendimento está animado. Daqui a pouco ainda começa tudo ao estalo. O pior é que se der para o torto temos de chamar a polícia (sei que já aconteceu, mas eu ainda não estava cá).

Agora quero é pensar no fim-de-semana. Amanhã vou procurar umas calças de cabedal (de motard) à Caparica Peles e no final da tarde vou a casa dos meus sogros comer umas ameijoas. No Domingo de manhã iremos ao Cabo da Roca com alguns amigos e outros conhecidos. Isto se assim Deus permitir.

A todos um bom fim-de-semana!

quarta-feira, agosto 20, 2008

Já voltámos de férias... começámos ontem a trabalhar, mas são só 15 dias, porque em Setembro lá vamos nós outra vez (assim parece que rende mais!)

Tenho uma avaria no modem da tmn, daí ultimamente não dar notícias (e continuará assim até estar bom). Hoje é o dia de voluntariado na ABLA. Apesar de ser Agosto há pessoas a trabalhar, a Equipa de Rua, a casa de hóspedes, e uma ou outra pessoa, e claro a cozinha a tratar do físico do pessoal.

Até breve!

sábado, agosto 16, 2008

Góis 2008

Depois de uma noite em que dormi mesmo bem, às 8h45 da manhã achei muito estranho ouvir tão pouco barulho lá fora... não se ouviam rateres, e não estava um calor terrível dentro da tenda, era sinal de que o sol não aparecera... estava mesmo a chover. Tudo molhado cá fora, as tendas tb (algumas tb por dentro), mas felizmente estava tudo sequinho dentro da nossa. Acordar com um dia assim quase que nos desmoraliza, mas lá fomos até à vila para tomarmos o pequeno-almoço sempre de baixo de uma chuva miudinha.

Durante a manhã alguns aguaceiros, mas à tarde o sol raiou para alegria de todos os presentes.

Passámos a tarde entre o stand da CMA e mais um passeio pelas bancas de mil e uma coisas (motards e não só) que se vendem por aqui.

Vamos agora jantar e esta é já a última noite de concentração. Hands on Aproach e GNR actuam... mas o mais importante mesmo passa-se sempre no stand da CMA. Amanhã às 9h vamos ter culto no stand, com entrega de cores a novos membros e depois é quase hora de despedida.

Até breve!

P.S. - Aos que não gostam de motas, perdoem-me estar com tantos pormenores da concentração, mas este é o nosso campo missionário (e se há amigos a orarem por nós, é justo que os ponhamos a par do que se vai passando).

Góis 2008

A noite de ontem esteve realmente fria, parecia que estava tudo congelado, mas os sacos-cama eram suficientemente quentes, felizmente.

Hoje de manhã fomos ao rio tomar banho (fizeram umas praias fluviais óptimas). Almoçámos, montámos o stand do CMA e alguns de nós seguimos para a concentração de Mangualde. O presidente do moto clube de lá convidou-nos para lá irmos hoje, ofereceu-nos jantar e fazia questão que fossemos lá entregar algumas bíblias.

Depois de muitas curvas e contra-curvas, depois de Vila Nova de Poiares, muitas terreolas, IP 3, Nelas, e finalmente Mangualde. Uma concentração muito mais pequena, familiar, onde as tendas ficam dentro do recinto de uma escola (aqui em Góis é num descampado enorme). Receberam-nos muito bem, deram oportunidade do presidente ler uma passagam bíblica, dar um pequeno testemunho... foi o suficiente para semearmos naquelas vidas.

Voltámos agora mesmo, e está outra vez um frio de rachar.

Entretanto, chegou o pessoal do nosso moto clube do Algarve (King's Riders) e estavam muitos já no stand a distribuir bíblias...o stand é muito procurado.

Vou mas é dormir, que estou mesmo cansada. Os Da Weasel ainda vão tocar, mas a minha cama chama mais alto.

sexta-feira, agosto 15, 2008

Já voltámos do acampamento no Sábado, mas a minha net móvel resolveu fazer greve.

Estivemos no Juncal até 3ª e ainda fomos a Lisboa, buscar a mota. Com uma breve passagem pelo Amadora Sintra (com umas palpitações, nada de preocupante) ontem à noite e hoje de manhã partimos para a concentração de Góis.

Já cá estamos, a viagem correu bem, viemos em caravana com o CMA (Christian Motorciclists Association), 6 motas e uma carrinha bem carregada de bíblias motards.

Graças ao projecto Coimbra Digital - http://http://www.coimbradigital.pt/, estamos em plena concentração com acesso gratuito à internet (mesmo em frente dos motards cristãos).

De dia está muito calor, mas à noite o frio já aperta (disseram-nos que ontem estiveram 8 graus).

Até breve.

domingo, agosto 03, 2008


Estamos no acampamento familiar...
até tenho net, mas vou evitar... afinal estou de férias.

sábado, agosto 02, 2008

Voltámos ontem do Algarve.

Hoje começa o acampamento familiar II, no qual estaremos toda a semana.

Vai ser bom relembrar os tempos em que passava 1 mês naquele lugar do pinhal do rei. O cheiro dos pinheiros numa doce mistura com o do mar salgado consola-me...

quarta-feira, julho 30, 2008

Ontem (tentámos) ir à praia, mas o vento era tão forte que era impossível deitarmo-nos na areia. Viemos para a piscina, e aí sim, estava-se bem

À tarde, depois de 2 horas de sesta (à boa moda alentejana, não tivesse eu uma costela daqueles lados) fomos a Espanha, a Ayamonte, aproveitámos para atestar o depósito (0,25 € de diferença).

Jantámos já em Vila Real de Sto António. A noite estava boa.

segunda-feira, julho 28, 2008

As férias estão a correr bem. O tempo está óptimo. Parece que já estamos cá há imenso tempo mas afinal hoje foi só o nosso 1º dia útil de férias.

Hoje fomos ao Zoo Marine, foi brutal.

sábado, julho 26, 2008



Chegámos à Manta Rota. É aqui que começam as nossas férias.

5 dias de descanso no calor e sol algarvios.

quarta-feira, julho 23, 2008

Uma das coisas de que mais gosto na nossa casa


é isto!
Se tivessemos uma varanda, era ainda melhor. E se fosse no campo, então nem sei. Mas o ser humano é mesmo insatisfeito, e assim acabamos por não gozar plenamente tudo o que Deus nos dá.
Mas agradeço muito a Deus pela nossa casa, pelo sítio, pela vista, porque sabemos que era esta que Ele já tinha planeado para nós! E em Outubro já faz 4 aninhos que a comprámos, ou melhor que a hipotecámos para a comprar...o sistema é mesmo assim, o que havemos de fazer? Não tenho pais ricos, nem ganhei o Euromilhões! Mas sou filha do Rei, por isso Ele nos presenteia com este mimo todos os dias.

Há 1 ano

não estava cansada, estava completamente exausta, desesperada por férias. Fora o pior ano para mim, em termos de coisas para fazer. O ano curricular do doutoramento com 5 cadeiras no 1º semestre e 3 no 2º, a trabalhar ao mesmo tempo (a terminar o relatório financeiro da Equipa de Rua, bastante trabalhoso), a preparar semanalmente as coisas para a Escola Dominical porque não havia ninguém para me revesar)... enfim, foi mesmo difícil.

A minha ida à ABLA hoje fez-me lembrar deste pormenor tão importante.

Este ano as coisas estão tão diferentes... graças a Deus. Já viajei uma semaninha em Junho, e embora não tenham sido férias, sempre deu para espairecer (afinal viajar é sempre viajar!). Saí da ABLA em Março e só comecei na CPCJ em Julho, foram meses de adaptação a uma vida muito diferente e estranha para alguém que estava habituado (como milhares de pessoas no mundo) a sair de casa de manhã e entrar só ao final do dia. Idas à faculdade, formações, seminários, trabalho no escritório de casa. Foi um tempo bom. Sem preocupações de marcar consultas para o Sábado para não faltar ao trabalho. Com início da natação logo às 8h10 da manhã (madrugada segundo alguns).

Agora saio outra vez de manhã e só volto ao final do dia, mas é diferente. Embora esteja lá como investigadora, o que acaba por me deixar numa posição um pouco ambivalente, mas acho com mais vantagens do que desvantagens.

Sábado já vou de férias (desde 2003 que tenho de gozar o mês de Agosto todo), trabalho os últimos 15 dias de Agosto e vamos de férias novamente em Setembro. Vai saber bem poder andar sem grandes confusões, num mês em que muitos já estão de volta ao trabalho, e nós ainda desfrutamos dos lugares mais calmos, mais vazios, mais como eu gosto.

terça-feira, julho 22, 2008

A Matilde está com uma amigdalite. Hoje à tarde a brincar às cozinhas queria que a Teresa (mãe do Ricky) pusesse água numa cafeteira de plástico que ela tem e a Avó Tina dizia que não porque ela estava doente, não convinha mexer em água, e a Matilde responde:

- "olha, Tina, o dói dói já foi embora, e a Matilde já está boa" (a agarrar na garganta).
- " Já passou, a Matilde já pode brincar com a água"
Uma mãe cujo bebé de 2 meses e meio está a ser acompanhado pela CPCJ, foi ontem ao atendimento para se perceber como está a situação. Quando questionada pela técnica a quem
é que a menina sai por ser tão morena e ter feições de raça negra, a mãe diz que foi de um caso que teve com um guineense mas que o marido pensa que é dele. Mente ao marido e mente ao amante que pensa que ela é divorciada.

O ridículo da situação (como se não bastasse a situação em si mesma), é que ela respondeu à técnica:
- "Eu visto-lhe cores claras para disfarçar".

quinta-feira, julho 17, 2008

O ser humano é extraordinariamente complexo. Como é possível uma mulher viver com um homem 14 anos, a ser agredida diariamente e depois de conseguir o divórcio continuarem a viver na mesma casa. Uma criança de agora 4 anos a assistir no 1º ano de vida às agressões. Actualmente vivem na mesma casa, mas não existe qq relacionamento entre eles. A mulher está numa constante pressão psicológica para que ele não tenha nada por onde pegar, para não haver conflitos, o que a faz estar numa dependência do homem que lhe deixou marcas profundas.

O sistema de protecção às vítimas em Portugal não funciona como era de desejar e infelizmente isto acontece com maior frequência do que se poderia pensar.

Tive pena desta mulher porque apesar de estar a tentar ultrapassar tudo isto, aparentemente feliz, quando perguntou à técnica:
"A Dr.ª acha que estou melhor? Menos nervosa?"
Ao que a técnica respondeu : "Não, não acho. A Senhora está com medo constante do seu ex-marido"

A senhora começou a chorar imediatamente.

Gostava de ter-lhe dado um abraço naquele momento, mas não podia.

quarta-feira, julho 16, 2008

Quinta da Fonte

Na linha de Cascais é uma zona industrial onde estão instalados os escritórios de empresas como a Procter & Gamble, a Edinfor, a Merck Sharp & Dome. Em Loures a Quinta da Fonte é um bairro de realojamento. Ali "depositaram" ciganos, pretos, brancos que moravam no espaço que
é hoje o Parque das Nações. Foi a solução mais rápida e barata que havia, esquecendo que juntar num "gueto" pessoas com culturas tão diferentes poderia, mais cedo ou mais tarde, dar molho (neste caso, tiroteio).

O nome a lembrar o campo, o amarelo bonito dos prédios em ruas com alguns espaços verdes não chegaram para manter um bom ambiente no bairro e na 6ª f as armas sairam à rua. De onde vieram tantas armas ilegais?? Cada um dê as suas respostas.

A verdade é que passada esta turbulência, os ciganos pedem novas casas... realmente incrível foi a Câmara de Loures ainda ter ponderado atribuir-lhas. Portanto, a lógica é esta: montamos uma barraca no meio de um descampado, logo vêm mais uns quantos assentar arraial e assim nasce um bairro de barracas.

Entretanto, e como até dá mau aspecto à freguesia e ao concelho e já lá estão há alguns anos, a Câmara decide atribuir casas a estas famílias. Um bairro bonito, bem cuidado, prédios baixos (porque quantos menos condóminos menos probabilidade há de haver confusão). Na 1ª semana tudo se mantém na mesma. Com o passar dos meses os prédios ficam sem portas, os elevadores deixam de funcionar, as escadas estão imundas, a entrada dos prédios está um nojo...

Os conflitos começam a surgir. Mas não me digam que os pretos foram bater à porta dos ciganos para lhes dar uma tareia. Sim, porque os ciganos são inocentes. Aliás, nós até vimos nas notícias os pretos com as armas. Os ciganos estavam quietinhos nas suas casas.

Please, começo a ficar farta destas palhaçadas. Se tivessem de pagar uma casa durante 40 anos, não iam pedir a ninguém para mudarem de casa porque os vizinhos são isto ou fazem aquilo. Felizmente a Câmara não se compadeceu e vai mandá-los todos de volta para o bairro. Mais nada. Entendam-se e não arranjem problemas.

Neste país os ciganos são as eternas vítimas...

terça-feira, julho 15, 2008

Mas por que será que nas estações de combóio mais movimentadas da linha de Sintra, há sempre uma banca do Meo, ou da TV Cabo, ou do Clix, ou do Sapo... somos bombardeados por publicidade enquanto o queremos mesmo é ver se não perdemos o combóio.

quarta-feira, julho 09, 2008

Maus tratos

Em Portugal deviam pensar em passar este vídeo em horário nobre.


video
Na 2ª feira terminei a formação sobre Maus tratos a crianças e adolescentes no ISPA. Foi simplesmente fantástica...

é incrível como a nossa mente, ou sei lá o quê, consegue criar mecanismos de defesa face às situações tão graves, nojentas e sei lá como classificá-las, que ouvimos. Parece que nos tornamos frios ao falar das coisas, mas é a única forma de manter a nossa saúde mental.

O Ricky nem quer ouvir dos casos que aparecem lá na comissão.

Apesar de já fazerem parte do meu dia-a-dia, não deixam de impressionar pelo grau de perversidade, maldade, pelos pormenores... como é possível seres humanos (normalmente pais e mães) fazerem isto a outro ser humano???

domingo, julho 06, 2008

Nem vou falar do culto de hoje e do que foi anunciado...só digo que o mais provável é ter sido o nosso último naquela igreja. Sem decisões precipitadas mas há que tomar algumas dentro de pouco tempo.

Estou triste, tenho visto muita gente mesmo em baixo e há pessoas que parece que não estão nada preocupados com os outros...

Família

Ontem fomos ao casamento de uma sobrinha neta da Avó Tina, do lado do avô Rodrigues que já morreu. Foi muito engraçado conhecer tantos antecessores do meu marido. Muitos, mas muitos eram indianos. Até descobri que havia uma família nepalesa que era comerciante e que foram para Goa a fugir à peste. Entretanto um general francês foi para Goa combater e ali se casou com a filha desta família nepalesa. Assim nasceu o bisavô do meu marido...

Gostava mesmo de fazer uma árvore genealógica mas é tanta família que é mm difícil. Há muita informação que não sei.

Entretanto encontrei um chefe da PSP de Queluz que tinha conhecido na CPCJ do Cacém na passada 3ª feira...afinal é primo direito da minha sogra. O mundo é mesmo pequeno.

sexta-feira, julho 04, 2008

"São tantas batalhas, é tão funda a dor
São tantas imagens de abandono e desamor.
Há gente caída no chão, sem ninguém que os abrace,
sem ninguém que os levasse antes da escuridão".

Mafalda Veiga

Esta letra retrata o estado das crianças que chegam aqui à Comissão.
Estava a acompanhar um atendimento a um menor na CPCJ. A técnica perguntou-lhe se o amigo de quem ele tinha falado era brasileiro, ao que ele responde:
"Não é preto."
"E tu, és o quê?
"Também sou preto:"
A técnica pergunta: "E eu?"
"És castanha"
"E a Marta?"
"É cor-de-rosa"

Desmanchámo-nos a rir, claro.

O miúdo era o máximo.

terça-feira, julho 01, 2008

1º dia do trabalho de campo

Hoje foi o 1º dia de investigação no terreno. O 1º dia na Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sintra Oriental. Durante 1 ano acompanharei o trabalho da comissão de forma a perceber os conflitos de interesses entre técnicos, famílias e crianças; os constrangimentos do trabalho da comissão; a eficácia das medidas tomadas; como definem o superior interesse da criança, etc.

Vou ser uma observadora participante, já que ajudarei a comissão naquilo que puder e souber.

Foi um dia preenchido com duas reuniões. Normalmente as pessoas não sabem, mas as CPCJ funcionam em comissão alargada (onde participam elementos das IPSS, das escolas, de outras associações, etc, ligadas à infância e juventude) que se reune mensalmente; e em comissão restrita (com um elemento da câmara, da segurança social, das juntas de freguesias, da escola, da justiça), que se reúne semanalmente para deliberar sobre os casos pendentes.

Esta comissão está com uma média de 20 a 30 novos processos por semana, e abrange as crianças e famílias das freguesias de Queluz, Belas, Monte Abraão, Cacém, Massamá, Agualva, S. Marcos. A população tem aumentado, a crise também e os casos sinalizados também.

São situações muito difíceis para as quais é preciso estômago...

Também percebi que há alguns problemas de relacionamento entre a equipa, os feitios de algumas não se compatibilizam.

Peço a Deus que me use como pacificadora ("Bem-aventurados os pacificadores"), e que possa tocar aquelas famílias e sobretudo crianças com quem vou contactar.

domingo, junho 29, 2008

A gota de água

Quando as coisas vão mal na igreja ficamos tristes porque vemos as pessoas de quem gostamos a sair, a igreja a definhar e quem está errado, a permanecer lá, todo feliz como se eles é que estivessem certos.

Mas quando isso começa a afectar as nossas emoções de tal maneira que chegamos a casa e desatamos a chorar... já não nos está mesmo a fazer bem. A semana passada foi a minha mãe, hoje fui eu. Amigos que nós sabemos mas quantos outros que nós não sabemos, choraram ao chegar depois do culto.

Hoje não 1, não 2, mas 3 dos meus alunos e mais 2 de outra classe se despediram de nós. Os Dias, muitos de vocês os conhecem. Já há alguns Domingos que não estavam a ir e eu já sabia que eles iam sair da igreja. Mas a despedida custa sempre muito, e estes meninos cresceram na minha classe, estão lá desde pequeninos. A Eva nasceu e foi muito pequena para a Escola Dominical... para mim foi a gota de água.

Tristeza, raiva, desilusão, sentimento de perda, um turbilhão de emoções que vieram ao mesmo tempo e que só me faziam pensar: "A próxima a sair sou eu. Não vou aguentar ver mais alunos meus a irem-se embora porque o ambiente na igreja está de tal maneira que os pais decidem sair. Já não faz bem a ninguém."

Desculpem o desabafo, mas teve de ser (talvez muitos de vocês já tenham sentido o mesmo).

Destesto

Quando procuro alguma coisa dentro da mala e só aparece o que não preciso. Detesto mesmo...

sexta-feira, junho 27, 2008

Estava a almoçar com uma colega, a Dulce, no VI Congresso Português de Sociologia e outra colega nossa, a Inês, telefonou a peruntar onde ela estava. Respondeu que estava na cantina a almoçar com a Marta, ao que a Inês respondeu: "Ah, a Marta das crianças".

Gostei tanto de ouvir...

Lembrei-me de algo que o Prof. Schmitter nos disse há uns tempos numa aula: "Quando estiverem a decidir o tema da vossa investigação, escolham com muito cuidado. Primeiro porque vão ter de lidar com isso durante muito tempo e depois porque serão sempre lembrados ou identificados como a pessoa que estudou aquele tema.

Eu sou a Marta das crianças.
Hoje veio-me à memória a minha primeira (breve) incursão pela investigação... Foi no 3º ano da faculdade. Eu e outro colega tivemos a melhor nota da turma numa frequência de Propaganda e Acção Política e a professora resolveu convidar-nos para participar num projecto sobre as mulheres na política.

Infelizmente o financiamento do projecto foi suspenso e lá ficámos pelo caminho.

Lembrei-me disto tudo porque ontem encontrei uma antiga professora minha da licenciatura. Lembrava-me dela e ela tb se lembrava de mim e até do curso que fiz. Está a acabar o doutoramento em Ciências da Comunicação e continua igualzinha ao que era naquele ano lectivo 2000-2001.

Pelos vistos eu devo estar na mesma, se não ela não me reconheceria...acho eu!

quarta-feira, junho 25, 2008

Mais uma tentativa falhada de dar sangue.
Tinha lá ido em Março e a hemoglobina não era suficiente (11.6), hoje estava igualzinha mesmo depois de ter estado a tomar Legofer durante um mês.

Agora só lá vou no próximo ano.

domingo, junho 22, 2008

E lá se acaba mais um fim-de-semana.

Foi bom ter os pais e os sogros cá em casa, sabe bem estar com a família. Parece que nós portugueses temos este enorme defeito, temos de combinar tudo muito bem para termos alguém cá em casa. A cultura africana é tão diferente. A qualquer hora pode aparecer alguém, sem que isso seja estranho. Aparece o primo, e o amigo do primo, e o primo em não sei quantos graus, e é tudo bem vindo. Lamento não ter sido educada assim, mas para mim ainda é estranho quando o Ricky diz que convidou não sei quem para vir cá, sem me avisar!!!!!

E o que vou fazer para comer, e como vou receber as pessoas?? Que estupidez. As pessoas vêm para estar connosco, não para serem servidos como reis. Temos de desfrutar dos momentos juntos, sem nos matarmos a trabalhar para que tudo corra às mil maravilhas. Afinal, não temos de impressionar ninguém, eles são nossos amigos.

Nem era para escrever nada disto hoje, mas saiu-me. Vem mesmo a propósito do livro que estou a ler "Como ter o coração de Maria no mundo de Marta". A diferença entre a cozinha e a sala de estar é abismal, e quantas vezes estamos tão atarefadas na cozinha e nos esquecemos da comunhão e da intimidade da sala de estar.

Pode ser que um dia eu aprofunde um pouco mais isto. Estou a gostar muito do livro e é mesmo para mim. Incrivelmente foi um dos pastores da minha igreja que me ofereceu no Natal (por ser professora de escola dominical, nada a nível particular). Engraçado que uma pessoa que parece distante das ovelhas, acertou em cheio no livro a oferecer.

Será que hoje teria essa mesma sensibilidade? DUVIDO.

sexta-feira, junho 20, 2008

Esta é mesmo muito boa.

O Ricky estava a contar que lá na escola um professor de artes foi substituído quase no final do ano, o que levou a uma grande disparidade nas notas dos alunos do 1º e 2º períodos para este último. Assim, os alunos quiseram apresentar recurso das notas obtidas e para isso levaram nem mais nem menos que os trabalhos feitos. O Ricky só vê um aluno entrar secretaria adentro com um cadeeiro enorme de um estilo que ninguém conseguiu identificar bem, atrás vinha outro com uma mesa e cadeiras (que por acaso todos repararam que eram do IKEA)... tudo para ficar lá para outro professor.

O pessoal da secretaria todo perdido de riso, quando o Ricky fingindo que era aluno disse: "olhe, desculpe, eu venho apresentar recurso da minha nota de Oficina de Artes, e trouxe um prédio de 5 andares que eu construí". Foi o fim da macacada.

"Graça sobre Graça"

Hoje recebi o mail de um amigo sobre um site muito bom. Vi-o e confirmei. Aqui fica para quem se quiser rir um pouco das figuras que às vezes nós próprios, enquanto crentes, fazemos.

http://gracasobregraca.smackjeeves.com/

Divirtam-se.
E pronto, acabou-se a febre num instante.
A derrota de Portugal frente à Alemanha serviu para nos relembrar que os que parecem os melhores, ganham sempre, e que o excesso de confiança leva-nos por vezes a ficar perdidos sem saber por onde ir. Estavam tão confiantes e afinal em campo pareciam umas baratas tontas, a correr de um lado para o outro. Pareciam estar a jogar à rabia.
Enfim, acabou-se...

terça-feira, junho 17, 2008

Depois da fantástica semana passada na Suécia, cá estou de novo de volta à rotina, ao dia-a-dia a ser lembrada da crise em Portugal, de como as coisas vão mal na igreja...a ser lembrada que tenho de cumprir prazos...mas tb que as férias estão quase aí.

Mas tb estou de regresso aos meus, aos que mais amo, ao meu marido, ao aconchego da nossa casa.

É bom estar de volta, mas foi uma experiência fabulosa e já sinto saudades daquela pequena cidade Vadstena e da boa disposição de todos os participantes.

Demoramos uma semana a fazer a mala (vai-se fazendo) e demoramos outra até que esteja tudo arrumado, mas viajar é tão bom!

sexta-feira, junho 13, 2008

Viajar obriga-nos a pensar...

e quando viajamos sozinhos, temos de pensar ainda mais.

Estocolmo

Uma cidade mesmo muito bonita... cheia de gente mas muito espaçosa, por isso não nos dá a sensação de andarmos todos apertados.

O sol ajudou... as pessoas são simpáticas quando peço ajuda para encontrar um determinado sítio.

Houve um homem, engravatado e de mala na mão, que começou a falar comigo sem eu perguntar nada. Como os meus pais sempre me ensinaram a falar com estranhos (conselho que quebrei vezes sem conta na última semana), continuei a andar enquanto ele ia falando.

Perguntou se eu queria alguma informação (porque eu estava farta de olhar para o mapa), e até perguntou se podíamos combinar alguma coisa amanhã de manhã (eu disse que me ia embora amanhã para Portugal). Neguei, ao que ele prontamente perguntou se podia ser hoje à noite. Isto há gente muito descarada.

Eu disse que estava demasiado cansada, tinha estado numa conferência de trabalho toda a semana no sul da Suécia e tinha de arrumar a minha mala para amanhã ir para o Aeroporto.

Mas de onde raio é que saiu o homem? Se fosse em Portugal ainda tinha ficado com mais receio, mas aqui dizem que não ha roubos... bem, é melhor ter cuidado.

Vou dormir num hotel não muito longe do centro da cidade. O quarto é confortável, já arrumei melhor a minha mala (para ver se não rebenta no avião) e a net é rápida. Só não sei o que se passa com a TV, dá som mas não dá imagem. Da recepção disseram-me que amanhã mandam alguém...amanhã já não preciso.

Enfim, isto tem sido uma aventura muito boa, graças a Deus. Tudo tem corrido bem e espero que assim continue.

cultural mix

4 americanos
2 checos
1 ucraniana
2 portuguesas
1 espanhol
1 francesa
2 italianas
1 polaca
3 ingleses
2 holandes
2 noruegueses
4 filandeses
e muitos suecos.

Fantástico...parecia que nos conhecíamos todos há anos

É incrível...à 1h30 da manhã quando me deitei na última noite da conferência, ainda havia luz. Dali a 2 horas e meia o sol nasceria de novo.
A nós que não estamos habituados a esta luz durante a noite, faz-nos muita confusão.
Não fui a única a tentar algumas fotos.

quinta-feira, junho 12, 2008

Parece que está a chegar ao fim...

Tem sido um tempo muito bom aqui pelas terras escandinavas. As pessoas são muito acessíveis, toda a gente fala com toda a gente. Professores, grandes sociólogos começam a conversa connosco mm sem nos conhecerem.

Isto é fantástico...

e temos o tempo tão ocupado que não vou poder escrever muito mais.

Apenas que amanhã estarei em Estocolmo quando sair daqui e só volto no Sábado para Lisboa.

mais fotos no flickr

Poster Session


Ontem a sessão dos posters correu muito bem. As pessoas iam passando e vendo, fazendo algumas perguntas...
a minha parte do trabalho na conferência está feita.

terça-feira, junho 10, 2008

Tudo muito calmo por estas bandas.
O sítio é simplesmente fantástico (quem quiser ver fotos pode ir ao flickr), as pessoas são muito simpáticas, prontas a ajudar.

O hotel é de construção antiga, todo restaurado e tem vários edifícios. O meu quarto (partilhado com uma alemã) é uma pequena casa, por fora tipicamente sueca, que é um mimo. Parece uma casa de bonecas. é um pouco longe do edifício central do hotel, onde tomamos o pequeno-almoço e jantamos, mas mesmo ao lado do edifício onde são todos os seminários (é na biblioteca da cidade).

Ontem ao jantar conheci um americano, um holandês (que é judeu), uma canadiana e um sueco. Todos falam connosco, mesmo sem nos conhecerem, é incrível. É desta que vou desenferrujar o meu inglês. O jantar foi roast beef (não tenho a certeza se é assim que se escreve).

Ontem às 22horas (21h em Lisboa) ainda era de dia e havia alguns suecos e suecas a nadar naquele que é o maior lago da Europa.

Não me canso de dizer: isto é mesmo muito bonito.

Hoje ao almoço conheci uma holandesa e um alemão. Mais uma vez comemos salmão (ontem tinho sido a entrada, mas cru). Há sempre muitas batatas (os suecos adoram batatas). Mas estava tudo muito bom, mesmo às vezes não tendo a certeza do que estamos a comer.

Da parte da tarde vamos contuinuar com os seminários, non-stop.

Amanhã trago mais novidades.

segunda-feira, junho 09, 2008

Em directo da Suécia, algures entre Estocolmo e Linkoping. O combóio demora menos de 2 horas para fazer 300 Km, sai há 1 hora de estocolmo e daki a 45 m já estarei em Linkoping.

Este país é só verde, até chega a irritar. Kms e kms de verde...

Tudo muito bem sinalizado, pelo menos no aeroporto, e nas estações de comboio.

Amanhã dou mais notícias.

sábado, junho 07, 2008

Aproxima-se

a partida... ao mesmo tempo que estou super entusiasmada por ir viajar, também estou um pouco apreensiva porque tenho de apanhar vários transportes , vou sozinha e é um país com uma língua muito estranha.

Depois na própria conferência só vai haver outra portuguesa (que deverá ir no mesmo vôo que eu, mas vem do Porto e depois é que pára em Lisboa). São 75 pessoas, não conheço ninguém e há sempre a questão da língua, apesar de me desanrascar com o inglês, é sempre uma pequena barreira.

Estou pronta para a aventura.

quinta-feira, junho 05, 2008

De chefe a amiga

Interessante: ontem estive quase 1 hora a conversar com a minha antiga chefe. É engraçado que enquanto era subordinada, parecia que havia ali um entrave qualquer a conversar mais abertamente. Agora, como voluntária, parece que nos tornámos amigas. Tenho visto nela alguém que, como mais velha do que eu, tem a sabedoria de me aconselhar nalgumas situações e a conversa desenrolou-se exactamente porque lhe fui pedir uma opinião sobre algo que me inquietava.

Porque será que não conseguimos complementar o papel dos chefes como nossos amigos facilmente? Parece que há sempre uma barreira ali, por ser nosso superior.

Mas foi muito bom ouvi-la.

terça-feira, junho 03, 2008


Afinal quem comeu os ovos kinder?
Se somos só 2 cá em casa, e se não fui eu..
Descobri há pouco onde o meu marido andava a pôr os bonecos dos ovos Kinder todos que comeu... em cima do frigorífico.
Não tenho miúdos, mas tenho um marido que me prega algumas "partidas". O que eu me ri sozinha.
"Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente pela mesma razão".
Fernando Pessoa

Nem ele sabia quão certo estava...

domingo, junho 01, 2008

Euro 2008

O entusiasmo pela selecção é das poucas coisas que ainda faz animar este país...
os combustíveis sobem, o peixe escasseia, os alimentos aumentam, o IVA desce 1%...enfim, o país anda muito desanimado, mas tudo fica um pouco esquecido numa tarde de Domingo.

Mas o melhor disto tudo foram os 1200 motards que acompanharam a selecção na Suíça.

Haja ânimo portugueses!

segunda-feira, maio 26, 2008

Congresso Mundial

congresso mundial das assembleias de Deus foi muito fixe.

O concerto do Ron Kenloy foi para a abrir em grande...o homem está imparável. Mesmo com um ataque cardíaco há pouco tempo e com a idade que tem, pôs o pavilhão Atlântico aos pulos (mais os novos que os velhos, claro).

O pavilhão não encheu mas estava composto, considerando o preço e a crise económica...e claro o nº de evangélicos da Assembleia de Deus em Portugal...muitos brasileiros, venezuelanos, etc, etc vieram (40 nações diferentes).

Apesar de não termos a excelente organização dos Baptistas, as coisas estavam organizadas e tudo correu bem. Nós no coral andámos em ensaios desde Janeiro...e foi uma sensação única poder louvar a Deus no Pavilhão Atlântico.


Aqui ficam uns vídeos do concerto para verem o que perderam.

1º - A música Deus é tão bom cantada por ingleses.

video

video

quinta-feira, maio 22, 2008

Uma noite em Estocolmo

Andei a ver onde ficar de 13 para 14 de Junho. Conctactei o Exército de Salvação de lá mas informaram-me que não têm quartos disponíveis nessa data (eles têm uma guesthouse como a ABLA, tal como um hotel).

Assim sendo lá vou ter de procurar um hotel como este ou como este ...perto da Central Station, de onde saem o Arlanda Express para o Aeroporto, mas ao mesmo tempo perto do essencial que quero ver, como o Museu Judaico, o City Hall, o Vasa Museum, o Palácio Real... numa tarde e na manhã seguinte hei-de conseguir ver alguma coisa.

quarta-feira, maio 21, 2008

A estação do Cacém parece ser uma das poucas da linha de Sintra onde a modernização não chegou. Painéis electrónicos com o horário dos combóios e itinerário não existem.
A voz rouca da senhora nos altifalantes é típica das estações da linha do Oeste...
Passar-se no meio da linha para atravessar para outra plataforma...
Pelo menos tudo condiz...é que ainda se mantém o edifício velho da estação, que tanto me faz lembrar as nossas viagens até Água de Madeiros no Verão.

Eu que nunca gostei do Cacém (e continuo a não gostar), parece que lá vou parar (por opção, é certo) durante 1 ano para fazer a investigação para a minha tese.

Hoje fui a outra reunião com a presidente e outra colega da CPCJ, mas foi cancelada. Havia uma situação urgente de uma criança (ali tudo funciona em torno das situações de crianças em perigo eminente ou já com risco confirmado) e teve de ficar para outro dia.

Para a semana lá vou eu outra vez. Por este andar, vou para o terreno em Julho e em Agosto vou de férias, mas pronto.

o cúmulo da distração

é não me lembrar do nome do filme que acabei de trazer do clube de vídeo.

Sei que é uma comédia (fui muito criteriosa nisso), mas o nome só vou saber quando começar a vê-lo.